A Corrupção como um fato social durkheimiano
PDF

Palavras-chave

Anomia. Corrupção. Émile Durkheim. Fato Social. Funcionalismo.

Como Citar

Gonçalves , V. B., Andrade, D. M., & Beraldo, D. F. A. (2021). A Corrupção como um fato social durkheimiano: proposição de um modelo teórico. ForScience, 9(2), e00954. https://doi.org/10.29069/forscience.2021v9n2.e954

Resumo

A Teoria do Fato Social desenvolvida pelo sociólogo francês Émile Durkheim apresenta regras para observação e estudo dos fenômenos sociais externos, coercitiveis e gerais, tendo como cenário a sociedade detentora de uma consciência própria (realidade sui generis), independente da consciência individual. Diante da relevância dos estudos de Durkheim, buscou-se realizar uma pesquisa de natureza descritiva para sistematizar a Teoria do Fato Social, por meio de conceitos, métodos e aplicações encontrados nas obras do próprio autor, com o objetivo de criar um modelo teórico-analítico baseado em Durkheim para analisar a corrupção nos tempos atuais. Nesse sentido, realizou-se uma pesquisa bibliográfica tendo como objeto de busca as obras do autor, bem como artigos nacionais e internacionais relacionados à teoria do fato social. A importância do presente estudo reside na possibilidade de compreender os estudos de Durkheim, possibilitando sistematizar uma perspectiva teórica para aplicação em futuros estudos sobre análise de fatos sociais ligados a administração pública como a corrupção. Conclui-se que a corrupção é um fato social inerente ao estado de anomia da sociedade. Propõe-se como futuros estudos a aplicação do modelo teórico de corrupção elaborado a partir da perspectiva durkheimiana.

 Palavras-chaves: Anomia. Corrupção. Émile Durkheim. Fato social. Funcionalismo.

 

Corruption as a durkheimian social fact: proposition of a theoretical model

Abstract

The Theory of Social Fact developed by the French sociologist Émile Durkheim presents rules for the observation and study of external, coercible and general social phenomena based on a society that has its own consciousness (sui generis reality), independent of individual consciousness. Given the relevance of Durkheim's studies, a descriptive nature research was sought to systematize the Social Fact Theory, through concepts, methods and applications found in the author's own works, with the aim of creating an analytical theoretical model based in Durkheim to analyze corruption in modern times. In this sense, a bibliographical research was carried out with the author's works as a search object, as well as national and international articles related to the Theory of Social Fact. The importance of this study lies in the possibility of understanding Durkheim's studies, enabling the systematization of a theoretical perspective for application in future studies on the analysis of social facts linked to public administration such as corruption. It is concluded that corruption is a social fact inherent to the state of anomie of society. It is proposed as future studies the application of the theoretical model of corruption elaborated from the Durkheimian perspective.

Keywords: Anomia. Corruption. Emile Durkheim. Social Fact. Functionalism.

https://doi.org/10.29069/forscience.2021v9n2.e954
PDF

Referências

BATEMAN, S. When marcel mauss's essaisur le don becomes the gift: variations on the theme of solidarity. Theoretical Medicine and Bioethics, Alemanha. v. 37, n. 6, p. 447-461, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.1007/s11017-016-9384-6. Acesso em: 20 out. 2020.

BELLO, K. Le suicide unsiècleaprès Durkheim, de Massimo Borlandi y Mohamed Cherkaoui. Sociológica México, México. v. 50, p. 249-253, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.7202/007024ar. Acesso em: 14 ago. 2020.

BIALAKOWSKY, A.; VEDIA, A. M. Los sueños de larazón: lacrisis de sentido y elsuicidio egoísta. Trabajo y Sociedad, Argentina, v. 26, p. 117-140, 2016. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=387343599008. Acesso em: 17 ago. 2020.

CABRAL, A. A sociologia funcionalista nos estudos organizacionais: foco em Durkheim. Caderno EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 1-15, 2004. Disponível em:

http://dx.doi.org/10.1590/S1679-39512004000200002. Acesso em: 14 nov. 2020.

CARLOS, F. P.; D'AGORD, M. R. L. O lugar obsceno do suicídio. Revista Latino Americana Psicopatologia Fundamental, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 43-56, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1415-4714.2016v19n1p43.4. Acesso em: 20. set. 2020.

CLEGG, S.; CUNHA, M. P. E.; REGO, A. Explaining suicide in organizations: Durkheim revisited. Business and Society Review, Madri, v. 121, n. 3, p. 391-414, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1111/basr.12092. Acesso em: 14 out. 2020.

DURKHEIM, E. O suicídio: estudo de sociologia. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

DURKHEIM, E. As regras do método sociológico. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

DURKHEIM, E. Da divisão do trabalho social. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

FILGUEIRAS, F. Corrupção, democracia e legitimidade. Belo Horizonte: UFMG, 2008.

GAULT, D. A.; GALICIA, J. F. H.; LEPORE, W. Corrupción sistémica: límites y desafíos de las agencias anticorrupción: el caso de la oficina anticorrupción de Argentina. Revista del CLAD Reforma y Democracia, Venezuela, v. 61, 2015. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=357535434001. Acesso em: 05 nov. 2020.

HUNTINGTON, S. Ordem política nas sociedades em mudança. São Paulo: Ed. USP, 1975.

JOHNSON, P. et al. Legal originand social solidarity: the continued relevance of Durkheim to comparative institutional analysis. Sociology, Reino Unido, v. 51, n. 3, p. 646-665, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1177/0038038515611049. Acesso em: 20 out. 2020.

KUSHNER, H. I.; STERK, C. E. The limits of social capital: Durkheim, suicide, and social cohesion. American Journal of Public Health, Washington, v. 95, n. 7, p. 1139-1143, 2005. Disponível em: https://doi.org/10.2105/AJPH.2004.053314. Acesso em; 14 out. 2020.

MUSSE, R. Émile Durkheim: fato social e divisão do trabalho. São Paulo: Ática, 2011.

QUEIROZ, J. B. As formas elementares: ponto de redefinição da sociologia durkheimiana? Sociologias, Porto Alegre, v. 19, n. 44, p. 72-91, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/15174522-019004403. Acesso em: 19 out. 2020.

ROMERO, M. A.; GONNET, J. P. Un diálogo entre Durkheim y Foucault a propósito del suicidio. Revista Mexicana de Sociología, México, v. 75, n. 4, p. 589-616, 2013. Disponível em: http://dx.doi.org/10.22201/iis.01882503p.2013.4.42269. Acesso em: 15 nov. 2020.

TEIXEIRA, R. H. A crítica de Durkheim ao epifenomenismo em psicologia e suas implicações sociológicas e filosóficas. Trans/Form/Ação, Marília, v. 39, n. 4, p. 9-32, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31732016000400002. Acesso em: 25 nov. 2020.

THIJSSEN, P. From mechanical to organic solidarity, and back: with honneth beyond Durkheim. European Journal of Social Theory, Reino Unido, v. 15, n. 4, p. 454-470, 2012. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1177/1368431011423589. Acesso em: 05 dez. 2020.

TRANSPARENCY INTERNATIONAL. Corruptions Perceptions Index. 2017. Disponível em: https://www.transparency.org/en/news/corruption-perceptions-index-2017/. Acesso em: 16 out. 2020.

VARES, S. F. Sociologismo e individualismo em Émile Durkheim. Caderno CRH, Salvador, v. 24, n. 62, p. 435-446, 2011.

VARES, S. F. Solidariedade mecânica e solidariedade orgânica em Émile Durkheim: dois conceitos e um dilema. Mediações - Revista de Ciências Sociais, Londrina, v. 18, n. 2, p. 148, 2013. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2013v18n2p148. Acesso em: 20 out. 2020.

WEISS, R.; BENTHIEN, R. F. 100 anos sem Durkheim. 100 anos com Durkheim. Sociologias, Porto Alegre, v. 19, n. 44, p. 16-3, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/15174522-019004401. Acesso em; 11 nov. 2020.

Creative Commons License

Este trabalho está licensiado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Array